Politica

PF investiga Pedro Bezerra por desvio de dinheiro público

A Polícia Federal (PF) deflagrou, na manhã de ontem (20), a Operação Graham Bell, segunda fase da Operação Voto Livre, que apura denúncia de coação grave sobre servidores públicos para votarem e participarem de campanha eleitoral e desvio de verbas públicas para financiar campanha. As investigações miram o deputado federal eleito Pedro Bezerra (PTB).

Segundo a PF, a análise de dados dos telefones e computadores apreendidos na primeira fase da operação comprovou a prática de crimes eleitorais – entre eles, desvio de dinheiro público direcionado a “caixa dois e outros conexos, para garantir a eleição do candidato”. As investigações apontam que serviços e obras teriam sido contratados pela Prefeitura de Juazeiro do Norte, com as contas superfaturadas. Esse dinheiro teria sido usado na campanha do deputado eleito.
Além disso, funcionários da administração pública de Juazeiro teriam sido obrigados a trabalhar na campanha de Pedro Bezerra e a votar no candidato. Arnon Bezerra (PTB), pai de Pedro, é o atual prefeito da cidade.

As buscas, autorizadas pela Justiça Eleitoral, foram realizadas na Prefeitura e na Secretaria de Meio Ambiente de Juazeiro do Norte, no Hospital São Raimundo (no Crato), na Fundação Leandro Bezerra de Menezes, em empresas, fundações e nas residências de secretários do município, de empresários e funcionários públicos.
A operação é denominada Graham Bell, segundo a investigação, em referência a um dos criadores do telefone. A escolha se deu porque grande parte das informações adquiridas pelos agentes para dar andamento à investigação foram obtidas de telefones particulares dos investigados – incluindo contas, empresas envolvidas no esquema e movimentações financeiras.

Conforme a Polícia, os envolvidos responderão, na medida de suas participações, pelos crimes eleitorais e de desvio de verbas públicas. Segundo os agentes, os trabalhos continuam, com a operação ainda em andamento. “Serão abertos inquéritos específicos para cada crime e possíveis vistas de prisão, se necessário, e cassação de mandato de candidato eleito”, informou a PF.

A operação contou com a participação de 78 policiais federais e oito servidores da Controladoria-Geral da União (CGU). Foram cumpridos 17 mandados de busca e apreensão nas cidades de Juazeiro do Norte, Barbalha, Crato, Viçosa do Ceará e em Fortaleza.

Resposta
Segundo o investigado, deputado eleito Pedro Bezerra, suas contas foram aprovadas pela Justiça Eleitoral, sem qualquer questionamento. Ele conta que a movimentação, na verdade, tem relação com desdobramentos de investigações de um deputado estadual não eleito. Ele adiantou, ainda, que está à disposição dos agentes para prestar os esclarecimentos que forem necessários.

(Com informações da Agência Brasil)

Comente com Facebook